Publicidade

Eu resetei o Pausa Pro Intervalo com a promessa de que eu seria mais participativo em outras redes ...

As Crônicas Do Telemarketing

Eu resetei o Pausa Pro Intervalo com a promessa de que eu seria mais participativo em outras redes sociais e eu o farei, mas venho aqui anunciar meu primeiro tópico de postagens criados exclusivamente para o Facebook, que serão As Crônicas do Telemarketing, mas antes eu falarei um pouco sobre isso.


Bem, recentemente eu comecei a fazer estágio em uma assessoria que presta serviços para outras empresas, desempenhando a importante função de ligar para os clientes com a intenção de oferecer acordos para que os mesmos paguem suas dívidas. Porém isso é só a parte técnica do trabalho, esse texto eu estou escrevendo para explicar um pouco mais o dia a dia do atendente.

Primeiramente eu gostaria de dizer que eu não sei se o termo "telemarketing" está certo para alguém que está cobrando dívidas e não vendendo coisas, porém como o termo se popularizou para quem trabalha fazendo ligações o expediente todo, o manterei no título.

A verdade é que muita gente diz que é horrível trabalhar com telemarketing, o que não é bem verdade, trabalhando como atendente durante um mês eu ganhei ótimas histórias para contar, algumas minhas, algumas das pessoas que sentam ao meu redor. Além disso, é um trabalho pouco cansativo (físicamente), que faz você desenvolver sua fala e além disso, que proporciona muita zoeira, mas caso você fique muito estressado, é só tirar uma pausa para ir ao banheiro dar aquela respirada e voltar para vender ou cobrar mais clientes.

No Facebook eu irei postar todas as pérolas que eu vivenciar a partir de agora, obviamente não informarei a empresa para qual eu trabalho, para onde eu cobro dívidas e muito menos informações relevantes dos clientes (como nome completo), já que uma das coisas que eu não posso fazer no trabalho é quebrar sigílo. E para ilustrar essa postagem eu irei dar alguns exemplos de coisas que já me aconteceram durante o trabalho.

Hoje mesmo (sim, estou escrevi esse texto no mesmo dia que foi postado) apareceu a ficha de um cliente para que eu ligasse e quando eu fui ler o nome do mesmo para deixar recado na caixa postal não deu, tive que colocar no mudo, desligar a ligação e respirar fundo para tentar novamente, o nome do cara era Marciano, eu chamei o meu colega que senta ao meu lado e disse que iria deixar a seguinte mensagem para o cliente: "Alô, alô, Marciano, aqui quem fala é da Terra".

Se tem uma coisa que me faz rir durante o trabalho são alguns nomes, outro dia apareceu uma ficha de uma pessoa chamada Wandarlezon, um dos meus colegas ficou tão incrédulo com o fato de uma mãe dar ao filho tal nome que usou um sistema de pesquisa para ver como a mãe se chamava. O nome da mãe era comum (por isso nem lembro), mas havia uma mulher relacionada com o nome Wandarlet, assumimos que era a irmã.

Mas nem só de nomes criam-se nossas risadas, quando a gente atende alguém, nós devemos escrever no software o ocorrido. Um dia desses estavam me contando que um dos atendentes falou com um cliente que afirmou que falaria com o pai, porém na hora de digitar no programa o mesmo digitou "pau" invés de "pai". Ok, eu entendo que o "i" e o "u" são próximos no teclado, mas me pergunto o que a supervisora diria ao ler a seguinte frase: "Cliente informa que vai falar com seu pau".

Eu ia acabar o texto, mas lembrei de uma decepção que passei durante o trabalho que eu também queria compartilhar. Certo dia faltavam cerca de três minutos para que eu fosse embora, quando apareceu a ficha de um cliente chamado Raimundo Nonato, obviamente eu fiquei muito animado com a ideia de ligar para o professor Raimundo, mas quando eu fui olhar o número do mesmo para discar, a ficha estava sem nenhum número disponível, tentei pesquisar os dados do mesmo e nada. Eu estava disposto a sair do trabalho alguns minutos mais tarde para falar com Raimundo Nonato, mas invés disso eu voltei para casa decepcionado.

Bem, esse texto conta um pouquinho da minha vida e serve de introdução para a nova série de postagens que eu pretendo fazer somente no facebook (principalmente pelo fato de serem textos curtinhos relatando os ocorridos). De verdade, espero que esses relatos divirtam vocês da mesma forma que eu me divirto quando passo por eles.